A ARTE DA DROGA

by

Picture-1

Por Filipe Paiva

A lei que regulamenta o uso de cigarro (e quaisquer outros fumígenos) no estado de São Paulo está longe de ser uma simples censura, como alguns querem polemizar.

Um famoso ator global tem usado sua popularidade para anunciar na mídia que é terminantemente contra a Lei Antifumo e que inclusive não a respeitará em sua peça (até porque é o dono do teatro – e não o artista – que será responsabilizado por qualquer irregularidade…).

Ele alega censura e recomenda aos seus fãs que não votem nos políticos que aprovam a proibição de cigarro em locais fechados. Atitudes como essa me fazem lembrar a “atuação” política da atriz, também global, Regina Duarte ao tentar “alertar” a “ingênua” população brasileira quanto à “ameaça” da vitória do presidente Lula, em 2002.

Coincidentemente, a figura política central nesses dois episódios é o atual governador José Serra. Uma vez anjo e agora demônio, seria coerente às celebridades pesarem suas opiniões pessoais antes de as declararem publicamente. Lembrar que o brasileiro deve ter sua liberdade de escolha respeitada e que fazê-las de forma errada também faz parte do amadurecimento político de uma nação é fundamental. Usar a fama pessoal para manipular opiniões está mais próximo da censura.

E, para constar que sempre há pontos de vista diversos, fica a opinião do ex-tabagista Gerald Thomas: “O cigarro é uma merda, não dá barato, só traz câncer e miséria. As pessoas têm que parar de ver seus ídolos fumando. É uma besteira esse teatrinho realista, que precisa de uma mesa, de uma cadeira, de um cigarro. O artista tem que transcender isso tudo”.

E àqueles aterrorizados com a “censura” do cigarro, o que pensam sobre a impossibilidade de andar nú pelas ruas? Ou de fazer barulho até altas horas em sua própria residência? E quanto à criminalização do crack, cocaína, ecstasy, maconha, dentre tantas outras drogas que “roubam” o direito do cidadão de escolherem o que e quando usarem? Será que também recomendariam o boicote aos políticos “ditadores” que regulamentaram essas leis?

“A sua liberdade acaba quando começa a minha”, diz o democrata.

Anúncios

Tags: , , , , ,

4 Respostas to “A ARTE DA DROGA”

  1. Gabriela Says:

    Quem é o ator? Acho que merece ter o nome citado…
    É triste ver como muitas pessoas não só não conseguem, como não querem realmente abandonar o cigarro.
    Cada um na sua, mas, por favor, sem nicotina em comum.

  2. Guto Says:

    Não quis fazer propaganda grátis, mas os interessados podem ler a matéria na Folha de São Paulo de hoje, ou sua transcrição no blog do Gerald Thomas, referido em hiperlink no post acima.

  3. C. Guilherme A. Salla Says:

    Aos Senhores Fumantes:

    Acaso queiram se refugiar da histeria, área para fumantes no MIOPIA.

    Direito de resposta tabagista de Guilherme Salla.

    Abraço!

    http://guisalla.wordpress.com

  4. Mah Says:

    Acho engraçado os fumantes falarem da liberdade deles…

    E pergunto a todos eles: onde fica A MINHA LIBERDADE quando vou a um barzinho e sou obrigada a voltar fedendo a cigarro da cabeça aos pés sem ter optado por isso?

    Essa lei é uma questão de saúde pública. Os fumantes, queiram ou não, terão que respeitar, pois o governo deve pensar no bem maior e a maior parte da população FELIZMENTE não fuma.

    E o meu pulmão agradece!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: