Posts Tagged ‘Amazônia’

30/04/2012

SEM FLORESTA, NÃO HÁ CLIMA

16/10/2009

Vídeo sobre a importância da Floresta Amazônica no equilíbrio do clima mundial.

<!– AddThis Button BEGIN –>
<div><a href=”http://www.addthis.com/bookmark.php?v=250&amp;pub=oceanoale&#8221; title=”Bookmark and Share” target=”_blank”><img src=”http://s7.addthis.com/static/btn/v2/lg-share-en.gif&#8221; width=”125″ height=”16″ alt=”Bookmark and Share” style=”border:0″/></a></div>
<!– AddThis Button END –>

DESMATAMENTO ZERO

16/10/2009

desamatamentozerobanner

Se você acha que a Conferência de Copenhague está fora do seu alcance e não acredita que tem poder para interferir nas decisões que serão tomadas daqui a 52 dias, pode atuar numa realidade mais próxima.

O presidente Lula estará presente na Conferência e participará ativamente das negociações, uma vez que o Brasil é o quarto maior emissor de carbono do mundo.

A proposta de Lula é estabilizar as emissões até 2020 ao mesmo patamar de 2005, reduzindo o desmatamento da Amazônia em 80% nos próximos 11 anos.

Organizações como o Greenpeace, WWF, Instituto Socioambiental, entre outras, pedem Desmatamento Zero até 2015. O presidente Lula afirma ser impossível.

E você, o que acha? Você pode ajudar, exigindo que o presidente reveja sua posição. 

 Leia mais sobre o assunto e assine o abaixo-assinado.

<!– AddThis Button BEGIN –>
<div><a href=”http://www.addthis.com/bookmark.php?v=250&amp;pub=oceanoale&#8221; title=”Bookmark and Share” target=”_blank”><img src=”http://s7.addthis.com/static/btn/v2/lg-share-en.gif&#8221; width=”125″ height=”16″ alt=”Bookmark and Share” style=”border:0″/></a></div>
<!– AddThis Button END –>

BRINCADEIRA SEM GRAÇA

16/09/2009

Esse vídeo é fictício, parte de uma campanha publicitária da Guaraná Antartica, mas já assustou muita gente.

Dá o que pensar, não?

<!– AddThis Button BEGIN –>
<div><a href=”http://www.addthis.com/bookmark.php?v=250&amp;pub=oceanoale&#8221; title=”Bookmark and Share” target=”_blank”><img src=”http://s7.addthis.com/static/btn/v2/lg-share-en.gif&#8221; width=”125″ height=”16″ alt=”Bookmark and Share” style=”border:0″/></a></div>
<!– AddThis Button END –>

PELA SAÚDE E PELA AMAZÔNIA

18/08/2009

Por Alexandre Pereira

Por motivos óbvios, os problemas ligados à pecuária no Brasil e no mundo não tem espaço na mídia, nem mesmo em programas abertos às discussões a respeito do meio-ambiente. Mas não falta informação sobre a ligação direta entre a criação de gado e o aquecimento global.

Tornar-se vegetariano não é apenas uma questão de respeito aos animais e a sua saúde. Não consumir carne é o melhor que você pode fazer para acabar com o desmatamento na Amazônia, que está substituindo hectáres de vegetação com uma imensa biodiversidade por solos comprimidos com o peso de rebanhos que pastam e distribuem na atmosfera gás metano, o maior responsável pelo efeito estufa.

Comece devagar. Diminua o consumo de carne e descubra os sabores de receitas livres de irresponsabilidade.

OS GRILOS DE LULA

27/06/2009
Com a decisão de vetar apenas uma parte do artigo 7º da MP 458, Lula impõe mais uma derrota aos ambientalistas. Proibir que empresas se beneficiem da regularização fundiária num primeiro momento não impede a grilagem. Primeiro, porque grileiros não operam por pessoa jurídica. Pessoas jurídicas têm CNPJ e endereço e pagam impostos. A qualquer momento podem ser fiscalizadas e punidas.
Grileiros usam laranjas – ou “prepostos”, na novilíngua ruralista -, pessoas físicas que abocanham quinhões de terra em seu nome que, juntos, compõem o latifúndio. A nova lei da terra na Amazônia deixa esses laranjas livres para operar.
Depois, porque dificilmente uma empresa agropecuária ou madeireira limitaria sua atividade a 1.500 hectares. Na Amazônia, a escala é de milhares ou dezenas de milhares de hectares, medida da ineficiência com que se produz ali. Portanto, o limite estabelecido pelo artigo 7º era só um bode (ou boi) na sala.
Finalmente, após três anos, o “empresário” rural poderá “comprar” de quem bem entender – cunhados, agregados, funcionários, primos – as terras regularizadas, pagas em 20 anos com carência de três de até 1.500 hectares.
Os outros convites à vigarice fundiária e ambiental também permanecem: a dispensa de vistoria das terras até 400 hectares, o preço simbólico, as generosas condições de ajustamento de conduta e a necessidade de “aproveitamento racional” da área – leia-se desmatamento – para comprovar a posse. Na Amazônia de Lula, os grilos estão pulando mais felizes do que nunca.
(Claudio Angelo, para a Folha de São Paulo, em 25/6/9)

vergonha

Com a decisão de vetar apenas uma parte do artigo 7º da MP 458, Lula impõe mais uma derrota aos ambientalistas. Proibir que empresas se beneficiem da regularização fundiária num primeiro momento não impede a grilagem. Primeiro, porque grileiros não operam por pessoa jurídica. Pessoas jurídicas têm CNPJ e endereço e pagam impostos. A qualquer momento podem ser fiscalizadas e punidas.

Grileiros usam laranjas – ou “prepostos”, na novilíngua ruralista -, pessoas físicas que abocanham quinhões de terra em seu nome que, juntos, compõem o latifúndio. A nova lei da terra na Amazônia deixa esses laranjas livres para operar.

Depois, porque dificilmente uma empresa agropecuária ou madeireira limitaria sua atividade a 1.500 hectares. Na Amazônia, a escala é de milhares ou dezenas de milhares de hectares, medida da ineficiência com que se produz ali. Portanto, o limite estabelecido pelo artigo 7º era só um bode (ou boi) na sala.

Finalmente, após três anos, o “empresário” rural poderá “comprar” de quem bem entender – cunhados, agregados, funcionários, primos – as terras regularizadas, pagas em 20 anos com carência de três de até 1.500 hectares.

Os outros convites à vigarice fundiária e ambiental também permanecem: a dispensa de vistoria das terras até 400 hectares, o preço simbólico, as generosas condições de ajustamento de conduta e a necessidade de “aproveitamento racional” da área – leia-se desmatamento – para comprovar a posse. Na Amazônia de Lula, os grilos estão pulando mais felizes do que nunca.

(Claudio Angelo, para a Folha de São Paulo, em 25/6/9)

24 HORAS PARA SALVAR A AMAZÔNIA

24/06/2009

post_lula

Prezado Presidente Lula,

Eu estou escrevendo para expressar a minha preocupação com a Medida Provisória 458. A MP 458 deve regularizar as terras de pequenos agricultores e não de empresas privadas ou pessoas que não moram na propriedade. Além do mais, o tempo mínimo para venda das propriedades de todos os tamanhos deve ser 10 anos, para assim se evitar a especulação comercial na região. É sensato beneficiar pequenos agricultores que irão trabalhar com o governo para proteger a floresta, mas certamente não especuladores e empresas que não tem compromisso nenhum com a preservação da Amazônia.

Eu gostaria de pedir portanto que vossa excelência:

1. Vete os incisos II e IV do artigo 2º que permite a “ocupação e exploração indireta”

2. Vete artigo 7º que permite título às empresas privadas

3. Mantenha o prazo para venda de terras regulamentadas em 10 anos para todos os tamanhos de propriedades

Nos próximos dois dias você terá a oportunidade de tomar uma decisão que irá afetar as futuras gerações, não somente do nosso país, como do mundo todo. Esperamos que vossa excelência cumpra as expectativas do povo brasileiro, mostrando o seu compromisso com o bem do qual mais temos orgulho – a floresta Amazônica. Por favor, faça a escolha certa e vete os pontos acima.

Atenciosamente,

Agora é só assinar!